Bibliotecário precisa ser líder

No dia 28 de março, participamos do evento “Deixando a zona de conforto: oportunidades de liderança para bibliotecários”, em São Paulo, no auditório da Biblioteca São Paulo. Promovido pelo Sistema Estadual de Bibliotecas  SisEB e Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo, o evento apresentou videoconferência de  Maureen Sullivan, Presidente da American Library Association  ALA, seguido por um painel de discussão com as convidadas Adriana Ferrari, vice-presidente da Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições FEBAB;  Danna Van Brandt, adida cultural do Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo e Sueli Nemen Rocha, diretora da Biblioteca Infantojuvenil Monteiro Lobato da Prefeitura do Município de São Paulo (BIJ).

videoconferência de  Maureen Sullivan, Presidente da ALA

videoconferência de Maureen Sullivan, Presidente da ALA

Em sua palestra, Maureen Sullivan abordou a necessidade do bibliotecário assumir uma postura mais confiante, proativa e de liderança no trabalho, assim como fortalecer sua  inteligência emocional e eficiência, para isso, considere:

  • descobrir e aprimorar seus pontos pessoais mais fortes, que ajudem no desenvolvimento profissional
  • estabelecer um plano de trabalho que indique estratégias e caminhos para vida profissional
  • trabalhar com pessoas que ofereçam apoio positivo
  • buscar feedback de pessoas confiáveis e sintonizadas com seu trabalho, peça aos seus colegas uma avaliação profissional
  • pensar na capacidade pessoal e no comprometimento individual de desenvolver novas competências
  • rever suas conquistas e explorar o que você faz de melhor e dá mais prazer

Sullivan destacou também a importância da troca de “boas práticas” em bibliotecas, mas de maneira sistemática. Ressaltou que o bibliotecário precisa conhecer e interagir com a comunidade onde trabalha para recuperar  o significado social da biblioteca. Neste sentido, o profissional não pode ser um mero participante, mas precisa conduzir ações, mobilizar, liderar. Para Sullivan, nunca houve um momento tão importante e favorável como este, por isso, o profissional precisa agir.

Dentro dessa perspectiva, para a bibliotecária Miriam Pessoa dos Santos, da Biblioteca Pública Heitor Sinegaglia, o “líder bibliotecário” deve valorizar e motivar a equipe da biblioteca, assim como estreitar relações com a comunidade e os gestores públicos.

Miriam Pessoa dos Santos

Miriam Pessoa dos Santos: Para as Bibliotecas Públicas evitarem a “Zona de Conforto” é necessário buscar grandes desafios e novas oportunidades.

Após videoconferência, ocorreu o painel de discussão que refletiu sobre a mudança do currículo nas escolas de biblioteconomia, para desenvolvimento das competências de mediação e práticas de ações culturais, assim como, a formação de uma “rede de boas práticas” em Bibliotecas Públicas, que registre e incentive novas experiências.

A videoconferência estará disponível em breve no site https://conx.state.gov/brazil/

Anúncios